segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Forum Mundial de Teologia e Libertação (3)

Foi uma noite memorável. Daquelas que a gente guarda na lembrança, para alimentar os sonhos, nutrir as esperanças e fortalecer as convicções. Éramos quase mil pessoas, durante o III Fórum de Teologia e Libertação, acontecido em Belém do Pará.
O tema inspirador “a vida da Terra a partir da Amazônia” foi contemplado com três olhares complementares. Para começar, uma breve exposição de Felício Pontes, jovem advogado e procurador da República no Estado do Pará. Felício tem se destacado pela defesa dos povos indígenas, dos ribeirinhos, dos rios e das matas, num contexto onde a lei é ditada pela violência e pelo poder econômico insano.
A seguir, veio a palestra de Marina Silva, ex-ministra do meio ambiente e atual senadora da república. Esta mulher, fisicamente frágil, se reveste de enorme vigor quando assume a bandeira da sustentabilidade com equidade social. Com um arsenal de dados inquestionáveis, mostrou como a Amazônia é importante para o equilíbrio ecológico do Brasil e do mundo. Usou uma imagem significativa: Mais do que o pulmão do mundo, a Amazônia é um dos seus rins. Graças à imensidão de rios e florestas, garante-se um enorme fluxo de águas que mantém o equilíbrio do ecossistema. Lembrou da enorme riqueza que significa para a humanidade a sua biodiversidade para a geração de riqueza e a evolução do conhecimento, sobretudo para o uso da indústria farmacêutica e cosmética. Recordou que a Amazônia não é somente floresta e rios, mas também os povos que aqui habitam e interagem com o ambiente.
Para terminar, escutamos a palavra de Leonardo Boff, o teólogo visionário que, desde o início da década de noventa, preconizou que a fé cristã engajada com a transformação do mundo deve incorporar a questão ecológica na espiritualidade, na reflexão e na sua prática. Anunciou profeticamente que devíamos escutar o grito da Terra e sentirmo-nos filhos dela, enquanto filhos de Deus.Tão importante quanto o conteúdo daquilo que transmitiram, Benício, Marina e Boff falaram pela sua presença. Eles são referências que estimulam a muitos. Pessoas que dão a vida pela causa da humanidade e do nosso planeta. Não se dobram diante da mesmice e das intimidações. São luzes que se juntam a todas outras, neste momento em que Belém do Pará se transforma no coração do mundo. Este mundo que geme, espera e luta por mudanças.

4 comentários:

Anônimo disse...

Eu estive lá e concordo com voce.
Foi uma emoção.
Paulo

Anônimo disse...

Murad, que resumo belíssimo, igual à própria Amazonia: rico e empolgante...Cointinue escrevendo nas cores da vida!
Johannes

Anônimo disse...

Muita emoção senti ao ler seu relato. Com suas palvras, a minha esperança(a do verbo esperançar,) se renova. Obrigada! Carla

Fernanda Priscila disse...

Ao ler sua fala sobre o Fórum Mundial de Teologia e libertação o desejo era de estar lá.
Mas foi possível sentir aqui um pouquinho do quão importante foi este momento.
Que ele se estenda no cotidiano de nossas vidas.
Um abraço,
Fernanda Priscila